terça-feira, 29 de maio de 2012

Sertão Central | Alvorada e benção para a tradicional cavalgada



Padre Valme Andrade abençoa os cavaleiros (Foto: Costa Neto)
Rumo à Pedra do Reino, Cavalgada simboliza o ápice dos festejos em Belmonte, nesta época do ano
Por Tiago Montenegro
O domingo nem tinha amanhecido quando os primeiros vaqueiros começaram a se organizar em frente à Igreja Matriz de São José do Belmonte para receber a benção do padre Valme. Todo último domingo de maio é assim. Sem ela, ninguém sobe tranquilo a Serra do Catolé, ninguém cavalga em festa até a Pedra do Reino. E esse foi o programa imperdível do domingo (27/5) na região.
Pontualmente, às cinco horas da manhã, começou a ecoar pelas ruas o som bonito dos pífanos da banda do mestre Ulysses. Era mais cedo ainda quando o Coral de Aboios de Serrita pegou a estrada para também participar da benção em Belmonte, recepcionar os vaqueiros, emocioná-los ao entoar A Morte do Vaqueiro.
Marquinhos Mariano chegou atrasado e por pouco não ouviu o grupo de aboiadores, mas logo achou um lugar entre os quase cem cavaleiros concentrados em frente à igreja. Entre um e outro ajuste na sela, me contou que já há 20 anos participa da Cavalgada: “Venho desde o começo, nos últimos quatro anos não pude ir cavalgando, mas fui de carro pra não perder a festa”.
Para quem, como eu, nunca tinha visto a concentração da famosa cavalgada, foi uma surpresa perceber a quantidade de crianças e mulheres que também participam. Jaciara da Silva, por exemplo, tem 23 anos e acordou cedo pra realizar pelo décimo ano o percurso. “Meu pai que me trouxe pela primeira vez. Corro em vaquejada também, é uma das coisas que mais gosto de fazer”, revelou. Para ela, nem é o forró que vai ouvir quando chegar à Pedra que mais a motiva, “é o caminho mesmo, a animação da cavalgada em si”.
Antes de ser transferido para Belmonte, há apenas três anos, padre Valme Andrade desconhecia o enredo místico que caracteriza os festejos no município. “Tive que conversar bastante com as pessoas daqui, ler muito, conhecer a história por trás da manifestação cultural”, contou o vigário. A pesquisa foi importante para que o guia religioso da cidade compreendesse também o seu papel nesta tradição: “Hoje percebo que este é um momento de celebrarmos a vida, não de lembrarmos apenas de quantos morreram na Pedra do Reino. Por isso pedimos a Deus que ilumine os caminhos dos vaqueiros, que cavalguem mais confiantes e retornem em paz”.
Cavaleiros rumo à Pedra do Reino (Costa Neto)
Do centro de Belmonte até a Pedra do Reino, os participantes enfrentam um percurso de 27 quilômetros sob o sol do sertão. Nas duas paradas que fazem antes de chegarem ao destino há música, churrasco, bebidas e sorteio de brindes. No palco Pedra do Reino, Jackson Sanfoneiro e Danilo Pernambucano são as atrações deste ano. O evento é uma realização da Associação Cultural Pedra do Reino, com apoio da Prefeitura de São José do Belmonte e do Governo do Estado através da Secretaria de Cultura e da Fundarpe.

Um comentário:

  1. Excelente portal sobre a pedra do reino. Parabéns. Por favor informe a Vadinho que a matéria que fizemos sobre o Castelo Armorial está publicada no www.portaldejuazeiro.com na COLUNA DE NEUMA, cujo link se encontra no portaldejuazeiro.

    ResponderExcluir