segunda-feira, 28 de maio de 2012

Sertão Central | Hoje foi dia de Cavalhada em Belmonte


Amanhã (27/5), será a vez da tradicional Cavalgada à Pedra do Reino

Por Tiago Montenegro
Cavalhada simboliza disputa entre mouros e cristãos (Foto: Costa Neto)
Ao som da filarmônica de São José e da banda de pífanos do mestre Ulysses, os cavaleiros do azul e do encarnado, que simbolizam a festa dos mouros e cristãos em Belmonte, ganharam as ruas da cidade na tarde deste sábado (26/5) e realizaram a 16ª Cavalhada Zeca Miron. O evento leva o nome do vaqueiro que o criou e é uma realização da Associação Cultural Pedra do Reino. Em mais uma edição, a manifestação alusiva aos festejos da Pedra do Reino em São José do Belmonte foi incorporada à programação do Festival Pernambuco Nação Cultural no Sertão Central.
Ao perceber a passagem dos cavaleiros, Dona Maria Elande adiou o trabalho doméstico e parou para admirar o desfile que definiu como “o negócio mais bonito que Belmonte tem pra mostrar”. E é bonito mesmo. Quase tão bonito quanto o sentimento que enche de lágrimas os olhos do porta-estandarte da Cavalhada, o vaqueiro Abílio Miron. Filho de Zeca Miron, falecido há 10 anos, Abílio sente ao mesmo tempo o peso e a leveza de carregar uma vez por ano o ícone da bela tradição cultural que seu pai ajudou a criar em Belmonte. “Sinto uma saudade grande, meu filho. Desde criança eu ia pro mato com ele e a gente dormia lá na pedra (do reino). A gente levava queijo, carne, rapadura e passava de dois a três dias por lá. Então, hoje a alegria é demais. Se eu pudesse, eu tava aqui com ele, mas eu não posso disputar com Deus, não é verdade?”, conforma-se Abílio.
Logo após o estandarte, animando o público e arengando com as crianças, vai o Quaderna, personagem quase rei, quase palhaço de Suassuna no “Romance d’A Pedra do Reino e o príncipe do sangue do vai-e-volta”. Cavaleiros mirins mascarados também marcham convidando a população a participar da disputa entre mouros e cristãos que está prestes a acontecer.
Já no estádio Carvalhão, os 12 cavaleiros montados de azul e encarnado dão início à competição onde se consagra vencedor o grupo que conseguir, enquanto corre, alcançar o maior número de argolas e realizar, com sucesso, a passagem das lanças por cima do portal adversário. Neste ano, o grupo azul venceu a disputa com um placar de 13 pontos a 10.
Para ganhar, o grupo tem que realizar, com sucesso, a passagem das lanças por cima do portal adversário (Foto: Costa Neto)

Para entender os festejos da Pedra do Reino
A festa de mouros e cristãos, realizada anualmente no último fim de semana de maio em São José do Belmonte, é uma homenagem às tradições ibéricas e busca inspiração na temática das cavalhadas. Especialmente na lenda “Carlos Magno e os 12 pares da França” – bastante propagada nos cordéis nordestinos – e no sebastianismo, que dá conta de que em 1578, Dom Sebastião, então rei de Portugal, montado no seu cavalo branco, empreendeu uma cruzada com um numeroso exército de soldados cristãos para recuperar os territórios portugueses do norte da África, ocupados pelos mouros. Desaparecido misteriosamente na batalha de Alcácer-Quibir, no Marrocos, Dom Sebastião foi dado como morto, mas espalhou-se pelo mundo a expectativa por seu retorno.
A crença na volta do rei teve muitos seguidores em Portugal e no Brasil, principalmente no Nordeste. Um desses movimentos aconteceu exatamente na Serra do Catolé, em Belmonte, no ano de 1838. Era o Reino Encantado da Pedra Bonita, que pregava o retorno do rei mediante o sacrifício da lavagem da pedra com o sangue dos crentes.
É esse episódio sangrento que hoje é relembrado com festa, envolvendo toda a população local.
Neste domingo, 27 de maio, acontece a 20ª Cavalgada à Pedra do Reino, manifestação que une a fantasia medieval presente no imaginário dos sertanejos aos elementos sagrados e profanos que recontam o episódio sebastianista na Serra do Catolé.
Confira a programação da Cavalgada:
5h – Alvorada com bandas de pífanos na Igreja Matriz de São José
5h30 – Concentração dos cavaleiros, amazonas e personagens
6h – Benção e saída da cavalgada, com a participação do Coral de Aboio de Serrita
11h30 – Palco Pedra do Reino com shows de Jackson da Sanfona e Danilo Pernambucano
A turma do azul (Foto: Costa Neto)

#Sertão Central | Festival levou circo a Belmonte

Hoje a cidade de São José do Belmonte acordou com mais festa! Palhaços, malabares e muitas cores pararam gente de todas as idades para assistir ao espetáculo “Los mascates excêntricos”. Na Praça Sá Moraes, também estava o nosso fotógrafo Costa Neto. Ele clicou tudo de perto pra gente ver. Dá uma olhada…

Olha o circo! (Foto: Costa Neto)

Oohhhhh! (Foto: Costa Neto)

Onde está o... (Foto: Costa Neto)

E agora? (Foto: Costa Neto)

Quero só ver... E num é que ele bom mesmo?! (Foto: Costa Neto)

Nenhum comentário:

Postar um comentário