quinta-feira, 12 de maio de 2016

O Romance d’A Pedra do Reino e o príncipe do sangue do vai-e-volta será o tema da XXIV Cavalgada à Pedra do Reino, que irá acontecer nos dias 27, 28 e 29 de maio de 2016




De autoria do mestre Ariano Suassuna, sendo um dos grandes livros da literatura brasileira, o Romance d’A Pedra do Reino mistura fantasia com realidade, na tentativa de um personagem criar uma Epopéia nacional.

Quaderna, o narrador dessa história que envolve muito mistério, é um descendente do líder da seita da Pedra do Reino, que existiu de fato entre 1835 e 1838 na Serra do Catolé município pernambucano de São José do Belmonte. A seita produziu um mar de sangue no sertão. Ariano Suassuna começa a história um século depois, em 1935, que representa então o século do reino. A narrativa é mítica, na qual surge um sertão povoado por personagens e seres fantásticos, e onde é feita uma discussão sobre poesia e literatura em meio a duelos entre dois representantes da esquerda e da direita. A literatura e a cultura nordestina são muito valorizadas por Suassuna. Quaderna tem a esperança de tornar-se uma espécie de Homero brasileiro.

Este novo mito sertanejo é a continuação do Sebastianismo em terras brasileiras. Tudo começa em terras africanas com a morte de Dom Sebastião. No Brasil, o padre Antônio Vieira foi um dos grandes propagandistas desse pensamento. Outras manifestações aconteceram no Nordeste, como na serra do Rodeador no município de Bonito e na já mencionada seita da Pedra do Reino em São José do Belmonte, ambas no Estado de Pernambuco. Quaderna também considera Antônio Conselheiro um profeta do Sebastianismo. O século do reino que começa em 1935 é a continuação desse mito no Brasil.

O Romance d’A Pedra do Reino funde a cultura Ibérica com mitos da população negra e indígena nordestina. Alguns personagens querem que o mito brasileiro seja europeu; outros querem que seja africano. Quaderna pretende unir a cultura Ibérica e a africana com o mito nacional da Pedra do Reino. A partir disso uma nova tradição literária terá início no Brasil. Quaderna é uma espécie de poeta-teólogo. É esse personagem que cantará o mito fundador de uma nação misturando imaginação e história, deuses e heróis. A obra, inspirada em raízes populares, reúne as bases do Movimento Armorial.

“Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do sangue do vai- e- volta” é o tema este ano da XXIV Cavalgada à Pedra do Reino Encantado, onde os cavaleiros mais uma vez anunciarão o legado do Rei Desejado através de uma manifestação cultural sertaneja das mais ricas e belas que ainda nos dias atuais evoca a figura do rei D. Sebastião.

Por Valdir José Nogueira de Moura

quinta-feira, 5 de maio de 2016

SÃO JOSÉ DO BELMONTE SE PREPARA PARA SUA TRADICIONAL CAVALGADA







Uma das mais emocionantes demonstrações de afirmação e beleza da cultura sertaneja aguarda uma verdadeira multidão no final de maio próximo. Misto de teatro popular e religiosidade, a XXIV Cavalgada à Pedra do Reino mostrará porque o evento se tornou uma das mais simbólicas manifestações culturais do estado, marcando o calendário anual de São José de Belmonte, sempre no último domingo de maio. A cidade já está se preparando para o ponto alto da celebração popular, no domingo 29 de maio, relembrando a história do seu povo, que envolve misticismo, tragédia e poesia, contada e recontada há várias décadas.
A Cavalgada à Pedra do Reino foi criada inspirada nas lendas do movimento sebastianista, que fizeram parte do imaginário nordestino no século XIX. Outra fonte de inspiração do evento é o Romance da Pedra do Reino, de Ariano Suassuna. O espetáculo remonta ao tão esperado retorno do Rei Dom Sebastião, que traz consigo sua corte, formada por seus valorosos cavaleiros. Cultura medieval e sertaneja se transformam numa só e relembram um momento histórico do lugar, cheio de simbolismo: a tragédia ocorrida em Pedra Bonita – atual Pedra do Reino – onde ocorreu o sacrifício sangrento de um grande número de pessoas, em 1838.
A Cavalga à Pedra do Reino é realizada pela Associação Cultural da Pedra do Reino, com apoio do Governo do Estado, através da Secult-PE/Fundarpe e da Prefeitura Municipal de São José do Belmonte.
*Por Valdir Nogueira

José Iran é o rei da XXIV Cavalgada à Pedra do Reino




O rei da XXIV Cavalgada à Pedra do Reino é o Sr. José Iran de Oliveira Barros. Ele participa do evento desde a primeira cavalgada e foi um dos fundadores da Associação Cultural Pedra do Reino, da qual já foi também presidente por dois mandatos. Sempre foi um membro fiel e atuante em todas as cavalgadas. Por essa razão, a Associação resolveu homenageá-lo como rei este ano.
 

REUNIÃO EM RECIFE COM O DEPUTADO ROGÉRIO LEÃO, PREFEITO, A PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO E SECRETÁRIOS VALDIR E JOSÉ IRAN SOBRE A XXIV CAVALGADA À PEDRA DO REINO, EM SÃO JOSÉ DO BELMONTE

O deputado Rogério Leão se reuniu, nesta segunda-feira (2), como a presidente da Fundarpe, Marcia Souto e com secretário da Casa Civil, Antônio Figueira, para tratar de demandas referentes a XXIV Cavalgada à Pedra do Reino. As reuniões aconteceram pela manhã na sede da Fundarpe e a tarde na Casa Civil.

Junto ao deputado participaram, o prefeito Marcelo Pereira, os secretários municipais, Valdir e José Iran, os representantes da Associação Pedra do Reino, Charles e Ana Paula. Na pauta, a definição das atrações para 2016. A festividade mais tradicional de São José do Belmonte, que acontece sempre no último final de semana do mês de maio, este ano será realizada no dia 29.

De acordo com Rogério Leão, a festa é uma referência turística para o Estado de Pernambuco e de grande importância para o município.“Além de alavancar o turismo, reacende a economia local e divulga cada vez mais a cultura popular da cidade e região”, disse o deputado.